Como treinar a viagem astral

Todos homens e mulheres, iguais em espirito, quando adormecem tendem sempre a realizar viagens astrais e os locais que visitamos, recordamos, tendo a estranha interpretação do inconsciente que não sabe falar, não escuta e nada vê pois é cego-surdo-mudo, traduz a informação num Caos ao qual designamos como sonho.

O espirito solta-se do corpo e alimenta-se da energia do ar revitalizando-se. Umas culturas chamam-lhe Ki, outras, Chi ou Prana, mas é a energia que sacia o espirito e ele vai desligando-se da carne, mas mantém-se preso pelo cordão de prata e é através desta ligação que recebe o corpo, a informação do que vê ou ouve e muitas vezes sente.

O sonho é uma mistura de viagens astrais ou simples acontecimentos gerados pela imaginação do inconsciente, que embora parecendo irreal, no astral, local de pura energia a que uns também chamam a 5ª Dimensão ou o lugar dos mortos para outros, o que pensamos, materializa-se.

A este respeito faço recordar aqueles momentos em que somos acordados abruptamente e ficamos extremamente mal dispostos, e isso deve-se a uma súbita reentrada do espirito, o veiculo astral da consciência, que não fica sincronizado com o corpo e surge a indisposição e as dores de cabeça, que, felizmente sempre passam se voltarmos a dormir.

Há pessoas que recordam-se de “acordar” durante os sonhos, quero dizer, recobram a consciência e percebem que estão a sonhar.
Se ganhar o controlo mental, pode começar a realizar uma viagem astral para aonde quiser, bastando pensar e querer acordar para retornar ao corpo.

Como este método acontece mais pelo acaso e podemos passar uma vida inteira sem que tal aconteça, o melhor é partirmos do ponto em que estamos acordados.

Vale a pena descrever que pode realizar auto sugestões sucessivas antes de deitar,e diz para si que quer ganhar consciência durante o sonho. Pode ter de fazer isto durante longos dias até o conseguir…

Igualmente, para as pessoas que se recordam de estar a voar nos sonhos, bem, é porque estavam mesmo a voar em espírito.

O método mais simples para fazer uma viagem astral é:
Sugestione-se a si próprio no mínimo, três vezes repetidas com convicção, que quer sair do corpo e sentir a maravilhosa leveza e a paz de estar a ver tudo fora do seu corpo. Aproveite e visualize-se já fora do corpo, acima deste, e visualize-o com convicção.

Agora, deite-se (ou sente-se), relaxe o corpo totalmente e comece a fazer desaparecer as tensões a partir dos pés lentamente até à cabeça – o seu objectivo é fazer desaparecer toda e qualquer sensação da presença do corpo para poder ficar sozinho com os seus pensamentos descontraídos, relaxados, focados no que quer fazer ou a visualizar que já está fora do corpo num ponto preciso acima de si. Você quer ser só consciência.

Não se preocupe como isso vai acontecer pois a consciência é o comandante do navio e não tem de se preocupar se o coração está a bater e que tem de se certificar que sim, ou outra coisa qualquer automática que continuará a funcionar com ou sem o piloto (você) a preocupar-se com a mecânica ou a programação cerebral; basta visualizar, desejar e querer, o computador interior tem é que o ouvir persistentemente e acreditar que é verdade, que é possível.

Se você conseguir o realizar na primeira tentativa, os meus parabéns porque é o mesmo que apostar e ter sorte à primeira, afinal, é um exercício novo que em grande medida por certo vai contra as suas crenças possivelmente culturais ou religiosas.

Estando relaxado, pode acontecer diversas coisas como parecer estar dentro de uma bola de borracha e esforça-se, esforça-se para furar mas não sai – continue a insistir ao longo dos muitos exercícios que fará.

Também poderá surgir a estranha vibração no corpo que se assemelha à dormência, como se fosse um formigueiro – não se preocupe que é normal, é só a sua bioenergia a manifestar-se e é um excelente sinal.

Também pode começar a sentir o braço em dois locais, o físico e outro ligeiramente ao lado. Se não for o braço pode ser uma perna ou sente um corpo ligeiramente atravessado ou desfasado do seu, é perfeitamente normal, está a sentir o seu corpo espiritual, o chamado corpo astral.

Qualquer um destes sinais quer dizer que está a progredir, a desprender-se da carne, do mundo físico tridimensional e está a tomar consciência da interdimensionalidade em que existimos, sentindo os corpos energéticos de que também somos compostos.

Quando se vir subitamente fora do corpo, não se assuste porque irá sempre retornar. Se assustar-se, possivelmente, para conseguir outra vez sair, terá que o deixar para outro dia para tentar.

E pode sair só mesmo por fracções de segundo e sentir a leveza e a ausência. Também pode sair e não ver quase nada ao seu redor ou pode ver uma bola com uma cara (trata-se de uma entidade).

Mas saiu e está fora a apreciar as maravilhosas sensações, e não se assustou com o aspecto da carcaça que é o seu corpo. Estando aí, navegue lentamente e suavemente pelo quarto aprendendo a se dirigir pela vontade do seu pensamento, ganhando confiança com esta nova existência – não se afaste, retorne ao corpo, treine a reentrada, e confiante, sem pressas ou emoções sobressaltadas, tente sair novamente.

Quando tiver ganho o à vontade em navegar pela vontade dos seus pensamentos, está na hora de explorar o mundo, ou, se o seu desejo é mesmo espiritual, invoque primeiro o seu Anjo da Guarda mentalmente para que este compareça e verá chegar o mais belo ser de Luz resplandecente que não há palavras humanas para descrever.

Pode também ir à procura dele a casa; peça (peça que o Universo/Deus responde) que surja o tunel de luz e verá um negro buraco em forma de tunel surgir à sua frente, avance destemidamente que não tocará nos seus bordos e ao seu fundo está uma luz, que rapidamente lá chegado, será ofuscado pela divina luminosidade e verá o seu Anjo da Guarda, possivelmente parentes e coisas que lhe será dificil relatar. Enquanto lá estiver, não agarre nada porque é impossivel trazer alguma coisa além da memória. E eles lhe dirão quando deve voltar (mesmo que não lhe apeteça). Não se preocupe com o seu corpo físico, pois está ligado a ele por um brilhante fino fio que poderá vir a reparar mais cedo ou mais tarde que é o cordão de prata.

Voltará pelo mesmo túnel impelido pela sua vontade (ou ser mandado embora pelo seu Anjo da Guarda, que é o seu Guia Espiritual), e sem pressas ou medos, reentrará no seu corpo sentindo-se como se estivesse a enfiar numa roupa, recobrando os sentidos físicos.

Há pessoas que ao contrario de precisarem de estar bem, só realizam viagens astrais quando estão desconfortáveis (com fome por exemplo).

Agora, também informo que enquanto o corpo se sentir alimentado, pode estar no astral sem interrupção.

Mas o Astral tem regras divinas e você tem de ser puro de coração, razão que o pode impedir de sair, ou, se transgredir a Lei Divina que passarei a explicar, poderá ser impedido de voltar a sair até que a morte aconteça.

Não se pode invadir a privacidade alheia!
Abstenha-se das casas, da cobiça ou a curiosidade!

Não se pode tentar obter vantagens materiais como espionar através das viagens astrais!

A viagem astral destina-se a você evoluir espiritualmente!

Procure o seu Anjo da Guarda pois no Astral os Demónios e outras entidades negativas são “físicas” pois este é o lugar dos espíritos de todas as naturezas.

Anúncios