Acordo com extraterrestres

 

extra1

O fim do acordo de sigilo de 50 anos entre a terra e os extraterrestres -  Zoosh, através de Robert Shapiro Transcrito por Violet -Identidade das luzes de Phoenix -Contratos extraterrestres em 1947 com certos países -Sinistro Governo Secreto (SGS) joga as nações umas contra as outras -Futuras bases em Marte e na Lua Vamos agora a um breve comentário sobre os recentes avistamentos de luzes em Phoenix, Arizona.

Vou reiterar minha opinião anterior correspondente a esse avistamento. Estas luzes são produzidas por veículos baseados no solo associados a um projeto altamente secreto das forças armadas dos Estados Unidos. Direi também, com referência aos que telefonam para a base da Força Aérea e conversam com seja lá quem for o infeliz azarado que atender o telefone, que o pessoal dos escalões mais baixo não tem conhecimento algum do assunto. É supersecreto, e este veículos estarão sobrevoando mais cidades no futuro. Também desejo dizer mais uma coisa. As cidade se localizarão principalmente no EUA, mas alguns vôos ultrapassarão seu ponto de destino, entrando em países estrangeiros, caso se sintam seguros. Falando de modo geral, contudo, eles não se encontram em nenhuma missão militar, no sentido de que não se trata exatamente de um chamado para despertar, …

e sim visam mais fazer as pessoas se acostumarem à experiência. Existe, então, um acordo. Durante muito tempo, gente de dentro da comunidade militar e política de governos estáveis do mundo todo (certamente os EUA) tinham um acordo segundo o qual quando chegasse certo ano – 1998 e subseqüentemente – seria bom que os governos estáveis, utilizando a tecnologia fornecida por extraterrestres, pudessem começar a fazer esta tecnologia sobrevoar sua próprias cidades para fazer as pessoas se habituarem à idéia dos UFOs como um fenômeno benévolo. Não estou querendo sugerir que muitos UFOs avistados sobre outras cidades e países e sobre os oceanos sejam todos espaçonaves baseadas no solo. Mas alguns são, e baseio-me dos avistamentos de Phoenix por se tratarem de um exemplo típico.

PACTOS COM ETs EM 1940

Este acordo entre militares e extraterrestres teve início há muito tempo. No começo da década de 1940, os extraterrestres firmaram esse acordo com várias pessoas de alta posição, os militares e a comunidade política da época. Eram governos relativamente estáveis, embora tenham compartilhado um pouco dessas coisas com governos que mudaram desde então, principalmente governos e sistemas que em grande parte permaneceram estacionados, embora as pessoas mudassem. Segundo o acordo, o compartilhamento da tecnologia acabaria por propiciar uma expressão tecnológica mais benéfica aos povos da Terra – ou seja, o que vocês experimentam atualmente como um fenômeno corriqueiro de eletrônica, informática e até mesmo biogenética foi até certo ponto bastante impulsionado por este processo.

Do ponto de vista extraterrestre, não se tratou somente de ajudar vocês em seu caminho rumo a se tornarem cidadãos universais, e sim também fazer o possível para ajudar vocês, da Terra, a não se autodestruírem antes de descobrir que não estavam sozinhos, que havia muita ajuda disponível, sem falar de amigos que ainda não conheceram (pelo menos a maioria de vocês), e que vocês disporiam de um terreno comum. Agora, certos seres (extraterrestres e os professores deles) sentiram que seria melhor se a maioria dos vôos realizados no final da década de 1980 e agora na de 1900 fossem feitos por eles. Mas eles também sentiram que, à medida que o tempo passava (especialmente depois de 1995), seria útil se vocês desenvolvessem algumas naves ou reconstruíssem algumas das que eles lhes emprestaram, de modo a realizar vocês mesmos algumas missões de vôo, contanto que as missões fossem totalmente benéficas (aliás, eles monitorariam vocês para se certificar disso).

Então, o que temos aqui em Phoenix, Arizona, nos últimos dias é mais um desses vôos. Da última vez, as luzes estavam contornadas de tal modo que era possível percebê-las claramente como luzes distintas. (Houve um pouco de confusão da última vez: era um veículo ou vários?). Foi a mesma coisa nas duas vezes: vários veículos distintos, únicos. Então, vocês estão sendo preparados. Agora, admito que nem todas as naves que voam pelos céus e são fabricadas por várias organizações governamentais ou militares secretas são totalmente benéficas. Algumas não são. Mas este projeto do qual estou falando é benévolo.

Poderia descrever esses veículos?

Se vocês os pudessem ver, alguns têm formato de disco, outros têm este formato (desenha forma retangular…vertical). Vi um desses à noitinha no Learning Channel na televisão. Parece uma coluna retangular. Alguns deles têm forma de disco. Alguna não são perfeitamente circulares, mas grosso modo apresentam esse tipo de conformação. (Quando digo forma de disco, não me refiro a um disco chato, mas ao que tipicamente se denomina uma forma de disco e grande parte das assim chamadas tecnologias extraterrestres envolvidas). A razão pela qual são em geral vistos à noite é que, não estando com o instrumento de acúmulo de luz ativado, o próprio veículo tende a emitir luz por intermédio de seu revestimento. Não é como se alguém voasse por aí com um holofote. O próprio veículo tende a irradiar luz. É possível, claro, absorver essa luz com um instrumento raro mas acessível a alguns estabelecimentos secretos.

Se isso for feito, é possível deliberadamente mascarar o veículo, mas aquele controle não é ativado. A intenção é que o veículo seja visto. Eu também diria o seguinte às grandes cidades que dispõem de helicópteros para policiamento e assim por diante: se um helicóptero sobrevoasse o local onde estão as naves, é possível que seus instrumentos fossem afetados, então imponham-se certos limites. Se possível, não voem a menos de 4,8 quilômetros. É em parte por essa razão que em geral as luzes aparecem em lugares onde não é provável que encontrem muitos aviões ou helicópteros. Menciono isto como um aparte dirigido aos eventuais pilotos e repórteres que talvez utilizem um helicóptero: provavelmente não é seguro chegar muito mais próximo do que 4,8 quilômetros por causa da radiação elétrica que involuntariamente interferiria nos instrumentos. Uns cinco, talvez 5,6 quilômetros seria provavelmente seguro.

A que altura esses veículos conseguem voar para além da órbita terrestre?

Se você está falando sobre ir a Lua, talvez fossem capazes disso, mas se considerarmos quem vai pilotá-los, eles não dispõem dos sistemas de sustentação de vida necessários a tais missões, como naves baseadas no solo.

Quantas naves dessas existem?

Oh, acho que em qualquer dado momento e local, seria improvável avistar mais de sete, mesmo ao ar livre, até oito ou nove. Porém, é provável ver três a cinco.

Existem nove disponíveis no total, ou cada base diferente possui nove?

Vocês precisam entender que se esses veículos são avistados, eles não estão vindo de uma base aérea local. Não estão localizados desse modo. Estão centralizados.

Certo, até que ponto você pode falar sobre isto? É um assunto do qual se fala abertamente neste momento, ou você tem de ser discreto? 

Estou sendo um pouco discreto. Como vocês devem Ter notado, não falei muito sobre isto no passado, exceto minha referência um tanto enigmática ao último vôo em Phoenix. Menciono o assunto até onde posso falar sobre ele agora. Não desejo dizer onde estão baseados. Não quero falar demais sobre quem está a bordo. Direi apenas que se trata de uma situação, em sua maior parte, absolutamente benéfica, e tem realmente por objetivo aos poucos torná-los conscientes dos extraterrestres.

Posso acrescentar que à medida que se tornarem mais comuns, será normal a imprensa relatar esses fatos como se relatassem qualquer outro assunto. Diriam: "Oh, mais luzes no céu. O que acham disso?" Sem comentários negativos, sem risadinhas irônicas. Toda a atitude editorial de zombaria em relação a esses avistamentos está ficando muito fora de moda agora no nível oficial, embora no nível mais coloquial ou anedótico, de pessoa a pessoa, ainda esteja um tanto arraigada.

Vai levar tempo para eliminar gradualmente essa atitude de enterrar a cabeça na areia – "não pode ser, então não é." Esta atitude foi promovida por muito tempo, e vai demorar um pouco para eliminá-la deste país. Vai levar menos tempo em outros países, pois houve muito o que eu chamaria propaganda oficial e não oficial, em especial neste país (Estados Unidos). O condicionamento do cidadão comum é muito completo. A gente deste país está condicionada há muito tempo, não com mão firme, e sim com uma mão quase excessivamente paternalista. Mas agora esse condicionamento, uma forma de influência estável, está sendo gradualmente removido de vocês.

O CONTRATO DE 1947

Esses veículos estão totalmente sob controle de um braço do exército norte-americano ou de algum grupo multinacional benévolo? 
Isto de baseia num contrato que não pode ser quebrado. O contrato foi originalmente selado (emprego esse termo deliberadamente, dirigindo-me àqueles entre vocês que entendem essa palavra) no final da década de 1940. Foi celebrado entre os EUA e alguns de seus governos aliados e os extraterrestres, e esse contrato perduraria durante um número x de anos, basicamente cerca de 50 anos, durante os quais os extraterrestres teriam certos direitos de ter contato clandestino com cidadãos da Terra sem qualquer inteferência. Com esse fim, haveria trocas entre os vários governos.

Ao fim do prazo contratual (não foram exatamente 50 anos, mas é um número aproximado) começaria a haver uma experiência de relações públicas por meio da qual os governos que pudessem fazê-lo começariam a ajudar a despertar os cidadãos para o fato real da existência de extraterrestres. Isto seria feito da maneira mais suave possível. Posso acrescentar que a insistência para que fosse feito com suavidade foi coisa dos extraterrestres, não dos governos baseados na Terra. Os extraterrestres compreenderam que depois de vários anos de negação, seria necessário usar de brandura. 
Esses extraterrestres eram zetas, ou eram um grupo de seres provenientes de várias civilizações extraterrestres? 
Mas o que eu chamaria grupo de seres. Havia zeta reticulis, mas também alguns pleiadianos, um representante de Andrômeda e representantes de Órion. Um Conselho de Sírius estava representado pelo representante de Órion, sendo o Conselho de Sírius, grosso modo, um grupo de indivíduos filosóficos/científicos. E vários dos sistemas estelares extraterrestres estavam participando. 
Pode dizer em que ano o contrato foi selado? 
Foi oficialmente reconhecido como contrato em 1947. 
E quem o assinou em nome dos americanos? Quem representou os americanos, Truman? 
Sou contra dizer quem. Acho melhor não dizer. Prefiro dizer que foram três cidadãos influentes: um cidadão que não ocupava cargo público, um cidadão associado aos militares e um cidadão que ocupava cargo público, ou seja, atuando como representante do governo, todos representando os Estados Unidos no fechamento do contrato. 

AS NAVES E A AJUDA EXTRATERRESTRE NA ENGENHARIA

As naves em si: sofreram engenharia reversa, ou foram presentes? Nós a fabricamos? 
Vou falar um pouco sobre isso porque trata-se de uma pergunta interessante. Alguns dos veículos sofreram acidentes, não derrubados. A idéia toda de que os veículos foram derrubados – não é bem o caso. Admito que alguns veículos foram derrubados, mas foi devido ao que eu chamaria falta de comunicação. Vocês sabem, se alguém está se comunicando numa faixa e vocês em outra e não conseguem alcançar um ao outro, acontecem enganos como esses. Os Ets reconheceram que foi um engano. Muitos dos veículos foram abatidos dos céus devido a seus experimentos com radares e outros instrumentos elétricos refletivos parecidos, que, a princípio, consumiam imensas quantidades de energia.

Naquela época, as ferramentas não eram tão sofisticadas a as pessoas não sabiam que poderiam usar menos energia. Isso criou campos destrutivos, parecidos com os que mencionei anteriormente – se um helicóptero voar num campo elétrico compacto, os intrumentos se desarranjarão, mesmo que estejam protegidos. Foi isso o que aconteceu na época. Mas então deram um presente, o que eu chamaria nave rudimentar (podia fazer isto mas não aquilo) e também deram certa assistência a vocês. Algumas peças e um pouco de assistência foram fornecidas para ajudá-los a reconstruir naves.

Em alguns casos a assistência era prestada contanto que os cidadãos a bordo das naves fossem devolvidos – e eles eram. É verdade que às vezes cidadãos foram retidos, mas nestes casos os cidadãos foram devolvidos. Vivos ou mortos, foram devolvidos. Então havia ajuda. Um representante vinha e lhes dizia (fisicamente): "Isto vai aqui" e por que e "Aquele vai ali" e por que. Às vezes , não respondiam uma pergunta, e estava acabado. Outras vezes, poderiam ajudar. Digamos que você é o técnico de terra e tem uma porção de pecinhas que não sabe encaixar, ou não sabe o que o circuito (se posso dar esse nome a isto) fará quando você o montar.

Você está um pouco indeciso sobre como montá-lo, pois não sabe o que ele fará, o que é razoável porque às vezes esse "circuito" pode ser montado de mais de um jeito. Se for montado de certa forma, provocará a autodestruição do veículo, parecido com interruptores. Se for montado de outra maneira, será útil para transportar isto e aquilo. Se for montado de outro modo ainda, poderia ser uma arma. 
O que seria fornecido seria a forma de montá-lo, por exemplo, obtendo-se algo que pudesse ser usado como mecanismo de transporte; seria possível utilizar um efeito de campo para deslocar um objeto pesado de um lugar a outro. Foi prestado esse tipo de ajuda, e sempre era feito de modo a ensinar ao técnico algo num nível espiritual, bem como em nível mecânico. Não estamos falando apenas sobre orientação mecânica aqui. Há pouco vi no programa do Learning Channel "Alien Secrets: Area 51" (Segredos Alienígenas: Área 51) um homem que deve andar na casa dos 70 anos dizendo que durante dezesseis anos ele trabalhou de um zeta que o auxiliou e a outros a adaptar estes veículos aos seres humanos. Sempre que tinha uma pergunta, o zeta já a sabia e respondia na mente do homem. Ele disse que seus patrões o autorizaram a sair da toca e contar o caso neste programa de televisão. Você está exatamente confirmando o que apareceu na televisão hoje à noite. 

BALÕES DE ENSAIO NA TV/IMPRENSA EDUCATIVAS

Eu diria que o que anda aparecendo por aí tem valor. Vocês sabem, está sendo divulgado em estações sérias. Não quero dizer que alguns programas televisivos sejam apenas sensacionalistas, mas alguns revelam um pouco mais no espírito tablóide que outros. Hoje em dia há programas na televisão essencialmente educativa, que talvez apresente um pouco mais de credibilidade aos olhos do telespectador médio, e isso é importante. Então, não pensem que estou desprezando a assim chamada televisão tablóide, às vezes a televisão e os jornais da linha tablóide executam valiosas funções, publicando histórias que não teriam vez na imprensa convencional e não chegariam ao público.

Às vezes trata-se de especulação apresentada como fato, mas outras vezes tem-se testemunhos oculares verdadeiros. Agora estas informações estão começando a sair do campo experimental e entrar imprensa mais educativa, e a partir daí elas avançarão. Na verdade, não é uma mudança tão grande dizer que algo é benéfico. Vocês simplesmente têm de entender que as naves vindas de outros planetas poderiam ser muito benéficas com gente benéfica a bordo. As naves que não são benéficas (na verdade são muito poucas) estão sendo mantidas a distância atualmente. Não podem chegar a vocês, não chegarão a vocês; isso não é possível. Quando vocês tiverem suas próprias naves e puderem chegar a essas naves, seus ocupantes serão benéficos.

Tudo caminha de forma que, quando vocês encontrarem essas pessoas, elas serão benéficas e estarão ansiosas por conhecê-los. Estou dizendo isso principalmente para aqueles dentre vocês que estão convencidos de que algumas naves são perigosas e carregam seres perigosos a bordo. O maior perigo, como vocês descobriram em sua própria história pessoal neste planeta, é a ignorância. Já faz alguns anos, mas da última vez que você tratou desse assunto, o governo secreto dispunha de tecnologia que mantinha todas as naves extraterrestres longe do planeta. 
Os Ets contornaram essa situação? As naves podem ir e vir com mais liberdade? 
O espectro de luz no qual eles estavam se aproximando de seu sistema solar foi modificado, passando a uma onda diferente. É só o que desejo dizer, pois o SGS pode me ouvir também, vocês sabem. Trata-se de uma onda diferente que, acho eu, não é possível bloquear. Não vou dar a fórmula, por razões óbvias, nem vou dar qualquer pista sobre o método, mas o método está agora à disposição de forma que as naves extraterrestres só possam vir para cá se precisarem estar aqui e se for aceitável a vocês, povo da Terra tê-las por perto. Essas são as principais condições, entretanto há mais algumas.

Eles podem estar aqui agora, é por isso que está havendo mais avistamentos e divulgação na imprensa. Está se tornando algo comum e mais gente está compreendendo que se trata de algo real. Posso acrescentar que não é nada de que se ter medo. Na verdade, é uma grande aventura. Será muito divertido para a maioria de vocês, e não está muito distante o dia em que os extraterrestres lhes serão apresentados na televisão e serão seres benéficos. 
Pode falar mais sobre a "necessidade de estar aqui?" Dê alguns exemplos 

COLABORAÇÃO ETs-CIENTISTAS NA CONSTRUÇÃO DE UM REFLETOR DE ASTERÓIDES

Bem, se os extraterrestres tiverem necessidade de estar aqui, em geral será por estarem trabalhando com alguém ou com um grupo de pessoas, talvez filósofos ou cientistas (os grupos costumeiros com que os ETs trabalham) em algum projeto benéfico que ajudará outras pessoas da Terra ou talvez até mesmo terá aplicações em outros planetas. Se houver necessidade de uma conferência cara a cara ou se houver necessidade de trazer aquipamentos para auxiliar esses cientistas filosóficos, essa poderia ser uma situação em que os seres de herança extraterrestre teriam necessidade de estar aqui.

Não é possível se dizer tudo estando longe. Às vezes, é necessário estar na mesma sala trabalhando juntos. E da mesma forma, se houver necessidade da presença dessas pessoas aqui na Terra, então isso seria permitido, contanto que as demais condições sejam satisfeitas. 
Pode dizer em que projetos científicos os extraterrestres estão trabalhando com cientistas norte-americanos? 
Vou dar só um exemplo. Prefiro não falar de alguns deles, mas são todos benéficos. O exemplo que talvez seja mais útil, especialmente em projetos de construção, sem mencionar a defesa da Terra – a defesa, neste caso, não se volta contra outras pessoas, e sim contra fenômenos físicos, tais como meteoros e assim por diante – seria que eles estão trabalhando com alguns cientistas para ajudar a criar algo caoaz de funcionar como um sistema de deflexão de longo alcance de baixa intensidade.

Não estou falando sobre lançar uma bomba atômica no espaço, na esperança de desviar a órbita de algum asteróide que esteja se aproximando, e sim algo que não danifica o asteróide nem a Terra, desviando o asteróide para longe da Terra – não na direção do Sol ou algo assim – fazendo-o entra numa órbita mais benevolente, ou seja, a matemática empregada pode apontar este dispositivo, semelhante a um laser (basicamente luz comprida), que utilizará o que eu chamaria eletricidade comprimida.

Vocês podem compreender os campos elétricos ou magnéticos – limalhas de ferro ao redor de um imã, vocês entendem os efeitos do campo. Esse dispositivo faz a mesma coisa, apresentando um efeito de campo elétrico, como vocês fazem atualmente ao comprimir a luz. Em todo caso, se você vai desviar um asteróide, tem de ter muita certeza de não o estar desviando na direção de Marte ou Saturno, então é preciso saber a posição dos demais planetas. Seus cientistas estão recebendo as coordenadas de deflexão, bem como sendo ensinados a usar este instrumento. Certas coisas serão embutidas no instrumento de modo que não possa ser usado como arma, embora, com certas adaptações, possa ser útil em projetos de construção. 
Quer dizer para perfurar, escavar ou explodir? 
Provavelmente, mas talvez não para explodir. Neste exato momento, vocês têm capacidade de escavar tudo o que precisam escavar, mas uma capacidade que vocês não possuem na construção, que vocês gostariam de ter, é maior precisão, ou seja, apenas uma pequena escavação, somente um grau preciso de remoção, não uma escavação imensa, reestruturando, a seguir, as coisas. Por exemplo, seria possível assentar os alicerces de edifícios com bastante suavidade; seria mais suave para a Terra e também muito mais barato. 
É um grande passo rumo à maturidade humana, pois foi montada maquinaria em Marte para desviar asteróides da Terra, mas os viajantes Montauk do tempo removeram o mecanismo, pois pensaram que fosse uma arma. Posteriormente, os ETs faziam esse trabalho a partir de suas naves localizadas ao redor da Terra. Então agora eles estão nos ensinando a fazer isso. É um grande passo, não é? 
Sim. Trata-se de um grande passo porque agora é necessário começar a trabalhar com as pessoas para realizar essas coisas benéficas. Não é possível fazer sempre todas as coisas de pronto. Um dos grandes problemas enfrentados pela gente da Terra é a dependência. Não se baseia totalmente nas religiões do mundo, mas também no simples fato de que, quando nasce uma criança, ela é basicamente indefesa e precisa ser cuidada e/ ou salva (dependendo de seu ponto de vista) pelos adultos que a rodeiam. Quando essa criança crescer, em momentos de desespero, quando não conseguir Ter confiança em si mesma e fazer algo por si mesma, com freqüencia precisará de ajuda ou talvez salvamento. Então, quando o povo da Terra estiver plenamente ciente dos extraterrestres (isso se dará no futuro), talvez seja simples uma nave extraterrestre passar voando e desviar um asteróide.

extra2Mas neste momento, como esse tomar de consciência não ocorreu e ainda não se aceita esse fato de forma benigna no mundo todo, é necessário tornar as ferramentas acessíveis a alguns tipos filosófico-científicos benevolentes que pensem corretamente, e que não desejam guardar para si a tecnologia. Eles não vão ocultar a utilização do instrumento quando a souberem (ainda não sabem) só porque a mídia criticará com violência o que na época será considerado terreno inimigo. É necessário que eles apresentem a característica de cientistas filósofos. A época apropriada então é importante. O instrumento será necessário antes da aceitação consciente plena da existência dos extraterrestres.

A probabilidade de colisão de um asteróide não é 100%, mas, nos próximos dez anos, existe a probabilidade até mesmo de uma passagem a pouca distância. Então, o instrumento será necessário, e seria melhor se o instrumento fosse "disparada" contra o asteróide (como dirão no princípio, embora não seja uma arma), embora alguns vão dizer ativado. Talvez seja necessário usar esse instrumento em algum ponto dentro dos próximos dez anos, antes que o conhecimento e bem-estar plenos entre a gente da Terra e os extraterrestres sejam amplamente reconhecidos. 
Agora, à medida que vocês ficam mais conscientes e se lembram mais de quem vocês são, é muito melhor que vocês façam isso por si prórpios, mesmo com a assistência de extraterrestres baseados bem perto. Se vocês analisarem o sistema das Plêiades quanto ao ensino de suas crianças (não estou sugerindo que vocês sejam crianças das Plêiades; estou apenas comparando), verão que é estritamente baseado num sistema educacional por meio do qual os jovens são ensinados a fazer as coisas sozinhos.

Vocês não são considerados crianças aqui, e sim como estando no ponto no qual é melhor que vocês sejam ensinados a fazer as coisas sozinhos, mesmo que não tenham a compreensão total de como o instrumento funciona. Vocês precisam Ter certa compreensão de como ele funciona, mas quando o primeiro instrumento for construído, isso provavelmente será feito numa plataforma móvel. Se preciso, poderá ser deslocado a lugares onde venha a ser necessário. Em razão das órbitas da Terra, é bem provável que não seja necessário um deslocamento, mas é possível.

O SUCESSO DO SGS: JOGANDO AS PESSOAS UMAS CONTRAS AS OUTRAS

O problema da tentativa do governo secreto de apossar-se do instrumento: podem usá-lo em proveito próprio? 
Não. Não constitui um grande problema agora porque o sinistro governo secreto está mais enredado no que considera seu projeto mais bem-sucedido. Esse fato, como já mencionei, mantém as raças e nacionalidades em luta entre si, a rigor porque a outra pessoa pertence à raça, tribo ou turma com a qual ele tem alguma rivalidade. O sinistro governo secreto está tão emocionado (embora não se dedique exclusivamente a levar adiante esse projeto) com o sucesso do projeto que está devotando a maior parte de seus esforços a ele. A idéia do SGS é manter vocês desconfiados uns dos outros e, ao mesmo tempo, incitar o que considera violência controlada, o que simplesmente significa que vocês não têm bombas atômicas. (O SGS não quer que vocês saiam explodindo propriedades, pelo menos não maciçamente.

Não quer que vocês explodam algo que não possa ser reconstruído). Com esse nível de violência controlada, ele está tão feliz que esteja dand tão certo que não vê muita necessidade de se ocupar de qualquer grande conflito com o que é, em essência, um projeto benigno. Se houvesse extraterrestres vindo em massa para cá, dizendo: "aqui estamos nós; somos seus amigos" e aterrissando por todo o mundo ao mesmo tempo, o SGS estaria trabalhando feito louco para encenar falsas chegadas de alienígenas com falsos alienígenas destruidores, de forma que vocês desconfiassem de todos os extraterrestres. Mas como os projetos extraterrestres são muito discretos, o SGS não vê necessidade de os confrontar.

ÁREA 51 OBSOLETA

Quanto poder falar agora sobre a Área 51? Parece, com toda a publicidade ao redor do assunto, que ela provavelmente faz parte destes 50 anos de abertura e divulgação de informações. 
Coloquemos assim: digamos que você tenha uma base militar secreta, com muitas coisas lá, das quais gostaria que as pessoas nada soubessem. Gostaria de manter as coisas secretas, mas então todo mundo descobre que coisas interessantes acontecem lá e gente começa a se reunir em morros usando os melhores binóculos nos quais conseguem pôr as mãos para observar a base. Qual poderia ser sua reação? A reação inicial seria ampliar seu perímetro e a segunda reação seria mudar tudo de lugar. 
É por isso que estou perguntando. Estou começando a achar que a razão de tanta publicidade é que a base está ultrapassada. Eles a usavam, mas agora têm um novo lugar destinado a seus experimentos realmente supersecretos. Estão deixando que brinquemos com a Área 51 para que não comecemos a procurar a verdadeira base. 
Claro que sim. Mas está tudo bem. Agora vou dizer algo um pouco polêmico, mas não ligo a mínima por terem mudado coisas secretas que desejam manter escondidas para um lugar onde ficarão ocultas. Não ligo a mínima porque a maior parte das coisas lá desenvolvidas em termos de bombardeiros a jato e assim por diante, das quais vocês têm conhecimento, está concluída e guardada agora em outras bases. O que resta ser desenvolvido, naves e assim por diante, brinquedos experimentais, a maioria já não se encontra lá. 
Então, trata-se apenas de um grande espetáculo que eles estão encenando para manter as pessoas ocupadas. Eles negam isto para que elas procurem com mais afinco e não percebam que a Área 51 é usada para despistar? 
Não, não. Não, não. Vocês precisam entender algo sobre os militares – e isto é universal na Terra. Mesmo que seja tenente ou capitão, você sabe apenas o que precisa saber. Para os militares isso significa que se o guarda do portão de qualquer base negar que algo esteja se passando lá; (a) o guarda recebeu ordens para dizer isso; (b) esse guarda não precisa saber o que está acontecendo lá para ser um bom guarda; e (c) ele está fazendo seu trabalho sendo um bom guarda mantendo fora as pessoas não autorizadas e permitindo a entrada apenas do pessoal autorizado.

Quando os militares ou o governo diz: "Sem comentários", é a mesma coisa. Você poderia ir a qualquer base – uma base onde se armazena tecnologia nuclear, por exemplo, ou onde a próxima versão de um foguete ou algum tipo de arma defensiva ou ofensiva está sendo construída, e obteria os mesmos comentários. Trata-se apenas do procedimento militar normal. Não é normal em relação à Área 51. Eles atiram nas pessoas lá. Digamos apenas o seguinte: com qualquer base militar supersecreta é o mesmo, não muda. 
Mas você acabou de dizer que isso é passado, contudo eles… 
Sim, ainda há coisas acontecendo lá. Vocês têm de entender que (posso dizer isto agora) a maior parte daquela base é subterrânea. Muitas outras bases militares ao redor do mundo são subterrâneas, não apenas nos EUA. Anos atrás, estava muito claro para vários governos que se eles quisessem proteger seu pessoal e suas coisas, um dos melhores modos de fazê-lo era colocar tudo no subsolo. Isso está ficando muito mais comum. Posso acrescentar que as empresas também estão tendo essa idéia. É a onda do futuro em termos de bancos e, falando de modo geral, cofres, registros e assim por diante. Pode-se controlar o ambiente muito melhor lá embaixo. Trata-se de uma noção de segurança.

BOB LAZAR

Disseram para Lazar falar? Ele ainda está vivo, sabe. Ele recebeu uma história e lhe disseram para falar como uma maneira de informar as pessoas? Eles matam por muito menos, mas ele ainda está vivo. 
Digamos apenas que ele fazia parte dos experimentos em andamento, mas não lhe disseram para falar isto. A maioria das pessoas apenas ia esperar para ver quem falaria primeiro. Se falassem demais ou se alguém não gostasse do que fosse dito, então talvez a credibilidade da pessoa fosse levemente abalada, mas se ela apenas dissesse: "Vocês vão ter de aceitar minha palavra nesse assunto", então tratava-se de um teste. Seria uma coisa se ele viesse e dissesse: "Eu era o comandante da base e posso provar o que digo". Então alguém teria de impedir que a pessoa falasse, dizendo: "Venha conosco".

Mas eis um homem a quem se poderia contestar, se necessário. Principalmente, não era necessário nada além do oficial "sem comentários" ou "em absoluto, isto não aconteceu". Mas as pessoas ouvem isso tanto por estes dias que agora os cidadãos americanos comuns, quando ouvem isso do governo, o fazem com reservas. É praticamente considerado governês, o modo de as pessoas falarem, mas não necessariamente verdadeiro. Até certo ponto, as pessoas podem aceitar isto como talvez até mesmo necessário no momento, para não dizer irritante. Sem dúvida, em outros países compreende-se plenamente que é assim que as coisas são, mesmo que não sejam necessariamente como as pessoas gostariam que fosse.

NOTÍCIAS DO XPOTAZ E DO SGS

O SR-71 parece as naves Xpotaz. Há alguma ligação? Não.

Os Xpotaz se foram completamente, nada restou, todas as naves se foram?

Todas.

A nave de viajar no tempo se foi?

Não está presente. 
Foi-se com a gente do governo secreto ou com a gente Xpotaz? 
Não está presente nesta linha de tempo. 
Eu sei, mas quem está no controle? Aquela que o Xpotaz deu ao governo secreto, foi para algum lugar e atolou, não foi? 
Sim. Foi para algum lugar e está lá. 
Eles tentaram fugir. 
Bem, eles foram adiante, e lá estão eles. É como ir pescar, você baixa a âncora e alguma coisa acontece com a âncora. Não é uma perda tão terrível, mas ela já era. Você puxa para cima a corda ou corrente e não há nenhuma âncora. Eles precisam conseguir uma âncora nova, só isso. 
Mas nenhum dos 13 integrantes do círculo interno foi com nave, foi? 
Não, não. Geralmente, nenhum integrante do círculo interno nunca vai a lugar algum em tais experimentos. 
Só que o brinquedo foi-lhes tirado das mãos para que não pudessem aprontar mais travessuras. 
Correto. 
Claro, você não pode dizer onde fica a nova base? 
Não direi.

BASES SUBTERRÂNEAS, NOVOS USOS

E não restou nada aqui em Sedona? A base se foi. Os alienígenas se foram. 
Não existe nada permanente em Sedona. Mas Sedona, como muitos outros lugares, tem túneis em seu subterrâneo e coisas vêm e vão. Posso acrescentar, falando genericamente, que debaixo da superfície há muitos lugares onde não existem coisas permanentes: pode haver instalações disponíveis, mas elas não ficam permanentemente guarnecidas. Sua operações podem ser reiniciadas se necessário, mas não está realmente acontecendo nada no que eu chamaria bases avançadas permanentes. Entretanto, coisas chegam e partem, como nas estradas. Caminhões, veículos vêm e vão e talvez parem durante algum tempo, mas então eles prosseguem. 
A base de Secret Mountain está funcionando? 
Está em atividade. Há algumas pessoas lá só para cuidar que as coisas funcionem direito, mas não estão fazendo muita coisa. Não precisam fazer muito. 
Nos anos futuros, à medida que amadurecermos, seremos capazes de usar essas bases com algum propósito benigno, toda essa incrível tecnologia subterrânea que pertenceu ao governo secreto? 
Oh, sem dúvida, mas será preciso transformar muitas dessas coisas. Há muita tecnologia redundante lá. Há muitos lugares com tecnologia projetada para fins defensivos e, se necessário, para fins ofensivos, de que vocês não precisarão, mas há muito espaço lá para se morar. Seria possível alojar um número imenso de pessoas no subsolo, e isso talvez seja considerado uma boa idéia por certas pessoas.

TRANSFERÊNCIA DE POPULAÇÃO

Por quê? Quem gostaria de morar no subsolo?

Oh, você ficaria surpreso. Não é de maneira alguma raro em vários planetas.

Não dá para ver as estrelas e o Sol?

Simplesmente constrói-se um tipo de instalação que permite vê-los. Você poderia às vezes ficar certo tempo no subsolo e certo tempo na superfície. Mas depende, em grande parte, de quanto o planeta é propício a uma grande população. Em algum ponto em seu futuro, será necessário transferir grande parte de sua população. Isso não significa pragas e catástrofes, significa, sim, que vocês chegarão a um ponto no qual poderão transferir populações aos lugares para onde elas desejarem ir.

Lugares subterrâneos ou fora do planeta?

Fora do planeta. Muita gente vai querer fazer isso, e é possível. Em algum ponto provavelmente haverá uma tentativa, de curta duração, de se fazer um rígido controle de natalidade. Não me refiro a esterilização forçada, mas haverá regulamentos governamentais.

Por exemplo, neste exato momento, as leis tributárias estão mais generosas; o contrinuinte tem dedução de imposto para cada filho. Esse é o modo de o governo apoiar vocês, como pais, mas no futuro essa situação poderia se modificar por pouco tempo. As pessoas solteiras ou que têm relacionamentos que não geram filhos terão provavelmente algum tipo de abono.

Neste momento, esse procedimento, na verdade, é pratica comum em certos lugares, como a China, embora talvez sem leis tributárias. Existe (pelo menos nesta época) uma posição bastante rígida acerca de quantos filhos se pode ter na China porque eles têm mais gente do que são capazes de cuidar, e querem que o povo tenha um padrão de vida mais alto. Então, embora o sistema deles não seja o mais benevolente, eles realmente têm metas benevolentes. Vocês poderão se deparar com isso em algum ponto no futuro.         Alguns talvez considerem essa situação cruel ou impiedosa, mas a longo prazo será necessário algum tipo de mudança. Caso contrário, o que em geral ocorre quando há superpopulação em qualquer planeta é que os homens e mulheres gradualmente se tornem estéreis. Sabem, vocês são compostos fisicamente do corpo da Mãe Terra. As criações podem ser cientificamente estudadas, mas criações não são ciência – é isso que torna a coisa toda interessante. Trata-se de uma afirmação muito importante. Então, o corpo de um ser humano pode ser estudado com grande precisão científica, mas isso não significa que a ciência teve qualquer coisa a ver com sua criação. O que teve a ver com sua criação foi uma personalidade benéfica na forma de muitos seres, espíritos, guias – seres amorosos, sendo o mais importante a Mãe Terra. Se a Mãe Terra dissesse: "Basta!" então o modo mais simples de impedir a explosão populacional seria as pessoas se tornarem estéreis.

Você disse em Explorer Race: Origins and the Next 50 Years (Raça Exploradora: Origens e os Próximos 50 Anos) que um aumento da homossexualidade nos dois sexos e uma diminuição na contagem de espermatozóides eram algumas das coisas que poderiam acontecer.

Sim, ainda é provável. A razão, em parte, do aumento da homossexualidade, entretanto, é a compreensão gradual de que as pessoas verdadeiramente amam-se umas às outras, não deveria haver qualquer limite a esse amor. Ainda é provável uma situação com uma possível diminuição na contagem de espermatozóides, caso sua população cresça para cerca de 10 bilhões (o que é possível mais cedo do que pensam). Se isso acontecer, lembrem-se, não é permanente, mas poderia significar que vocês terão uma taxa de nascimento muito limitada durante 15, 20, 25, mas provavelmente 35 anos.

Haveria um equilíbrio.

Isso mesmo. Haveria um equilíbrio. Como eu já disse, faria com que todos de repente percebessem como as crianças são valiosas e preciosas. E quando as crianças aparecerem outra vez normalmente, elas serão consideradas ou prezadas como devem ser.

AS NAVES BASEADAS NA TERRA A SEREM USADAS ABERTAMENTE EM 15 ANOS

Mudando de assunto, essas nove ou dez naves que nos foram dadas ou que adquirimos – deve haver coisas valiosas e úteis ao planeta que possamos fazer com elas.

Oh, sim.

Quanto vai demorar para que possamos usá-las para outra coisa além de luzes no céu?

Você quer dizer, quanto tempo para que vocês possam usá-las abertamente?

Sim, abertamente.

Oh, acho que quinze anos talvez.

Para que as usaríamos? Como as usaríamos?

Provavelmente, no início em projetos de construção. Elas seriam utilizadas,claro, por muita gente para estudo, para fins educativos.

Como usar uma nave num canteiro de obras? Transportar material para o topo de uma montanha ou algo assim?

Oh, para deslocar algo. Por exemplo, poderíamos ter um edifício. Talvez um edifício com aproximadamente um quarto do tamanho do Empire State Building (com 102 andares). Uma nave extraterrestre poderia facilmente deslocar esse edifício sem qualquer ajuda, mas três ou quatro dessas naves poderiam, ao voar numa formação estável (avançando a partir de determinada posição) erguer esse edifício e tranferi-lo de ponto A ao ponto B sem quebrar uma janela.

Seria possível pré-fabricar arranha-céus?

Isso mesmo, e seria possível deslocar coisas com grande facilidade. Em lugares onde é muito difícil construir algo e remover materiais, tal como no meio do deserto, seria possível pré-fabricar coisas imensas, deslocá-las para lá, assentá-las e, dentro de muito pouco tempo (um ou dois meses), basicamente ter uma cidade no meio do deserto pronta para ser ocupada por muita gente, com todo o necessário para seu sustento. Será muito emocionante ver isso acontecer. Será maravilhoso. Existirão muito métodos benéficos como esse, sem falar da possibilidade de se levar professores e seus alunos a passeios, até certo ponto demonstrando como funcionam as naves. Será como se um jovem pegasse uma carona numa espaçonave atual da Terra. Não será tão comum, mas acontecerá, então será divulgado.

FUTURAS BASES EM MARTE E NA LUA

E o sistema apropriado de sustentação de vida? Vai haver isso em Marte e na Lua?

A Lua provavelmente virá primeiro por ser mais próxima. Creio que a colonização de Marte está garantida. Em grande parte isso se deve ao fato – isso é importantíssimo – de que seria possível ir para lá agora com sistema de sustentação de vida. Há muitos lugares onde seria possível aterrisar em Marte e perambular por lá, e daria para jurar, se não fosse o equipamento por vocês usado, apenas pelo que vocês estivessem vendo, que vocês estavam em algum lugar na Terra. De vários modos é muito parecido com a Terra e vocês se sentirão, em vários aspectos, muito à vontade lá.                         Então, vocês irão primeiro à Lua, então haverá um grande desejo de erguer várias bases, cidades e coisas e tais em Marte. É para lá que parte de sua população desejará ir. Haverá muita coisa acontecendo nos projetos iniciais: mineração, sim. Claro que os projetos arqueológicos em Marte serão emocionantes, então haverá muitas migrações para lá de arqueólogos, cientistas, filósofos e assim por diante. Eles acharão muitas atrações.

Alguém telefonou ao Art Bell Show, e era como se estivesse lendo o Livro Amarelo. Ele disse que quando o Surveyor aterrissasse em Marte, traçaria mapas a partir de uma órbita polar, mapeando primeiro uma área que originalmente continha muita água; como um oceano esvaziado – áreas secas, que são agora rocha sólida ressecadas pelo Sol. Quando se atinge aproximadamente 40 graus ao norte do equador marciano, vê-se umas coisas bem interessantes: uma reprodução da região de Cidônia. Pode falar sobre isso?

Não vão encontrar cidades, se isso o que está perguntando.

Acharão apenas coisas interessantes?

Em termos de achados arqueológicos, não há dúvida sobre isso – o rosto de Marte, que fica em Cidônia, e essa coisa toda. Há muita coisa assim por lá, mas vocês têm de entender que existem coisas assim aqui na Terra. Às vezes, abalando a convicção do mais ardente crente em coincidências, há pedras parecidas com coisas daqui e vice-versa. A maioria delas foi inicialmente esculpida, não pelo vento, e sim por seres. Serão encontradas coisas assim, mas realmente não quero me aprofundar muito nesse assunto, porque estragaria a descoberta, e vai ser emocionante.                           

Por outro lado, direi o seguinte, para abranger tudo: quando essas coisas forem descobertas, o povo da Terra aprenderá não só que não está sozinho (o que vai ser plenamente entendido então), como também saberá mais sobre o que os outros seres humanos têm feito. As pessoas que viviam em Marte se pareciam muito com vocês, com seres humanos. É por isso que há rostos humanos lá, e quando coisas forem descobertas lá, vão dizer: "Ei, são pessoas!" Então, grande parte do que vai ser descoberto serão achados arqueológicos semelhantes aos da Terra, e vai ser simplesmente demais.

Há uma data para isso? Será em 1998, 99, 2000? Quando encontraremos essas coisas? O que ele diz está correto, que o Surveyor achará mais paisagens?

Em 11 de setembro eles ativaram os foguetes para reduzir a velocidade. Bem, poderia ser encontrado por esse satélite. A maioria dos achados será realizada por pessoas que estão fisicamente lá. Quanto ao que os satélites verão, isso está sempre aberto a interpretação simplesmente devido aos atuais limites da tecnologia. Mais países passarão a enviar satélites naquela direção genérica. Antes, era a União Soviética, mas agora acho que o Japão entrou pra valer no jogo. É provável que o Japão realize uma corrida desabalada para levar gente ao planeta.

Então países diferentes tentarão reivindicar partes do planeta?

Não tanto reivindicar, o Japão a rigor não é uma nação capitalista gananciosa. Existe, no Japão, um interesse genuíno sobre o que se passa em outros planetas e como isso se relaciona conosco. Sim, eles talvez queiram conduzir atividades de mineração e perfuração e tudo mais, mas também desejam explorar e ver o que está acontecendo. Então, não vamos concluir que os japoneses não passam de comerciantes grosseiros.

Eu quis dizer que todos os países poderiam organizar uma corrida do ouro.

Não, não vai ser assim. Vocês precisam se lembrar da correlação de acontecimentos da Terra. A história não é isolada. O principal fato político na Terra atualmente é a situação econômica global. Até que as pessoas realmente engrenem em Marte, a ordem econômica global…

Não haverá empresas tentando…

Isso mesmo. Temos agora conglomerados internacionais que, se por um lado são um tanto irritantes, por outro lado estão criando uma ordem mundial inicial. Até que isso engrene…

…teremos empresas multinacionais se aventurando…

Sim, empresas multinacionais e a seguir governos, mas a situação acabará por se resolver. Vocês não levarão suas guerras reais lá para cima. Neste momento parece que sim, mas não acho que isso será um fator importante. Talvez haja um grau moderado de guerra, mas acho que a sede do governo mundial na época, que provavelmente será em algum lugar da Holanda, fincará pé e dirá: "Se esperam usar a Terra como base de suas operações, não conseguirão fazer isso e ir lá em cima e dar tiros para todo lado."

O GOVERNO GLOBAL

Ele terá a palavra final. As pessoas deste país vão se sentir à vontade com a situação, pois ficará claríssimo depois de muito pouco tempo que a sede do governo mundial na Holanda é realmente imparcial.

Demorará um pouco, mas quando o povo da Terra vir que é imparcial e que são elaborados compromissos para criar a melhor situação para o maior número possível de pessoas, então os avisos divulgados serão respeitados.

Sem revelar todos os segredos, você vê esse governo mundial na Holanda em cinco anos, dez anos, vinte cinco anos?

Sabem, o alicerce desse governo neste momento é a economia: o GATT (sigla em inglês de Acordo Geral de Tarifas e Comércio). Obviamente, houve outros acontecimentos mundiais – Haia, por exemplo. Então, os alicerces estão firmes em seus lugares. Eu diria que está simplesmente se baseando no que vai acontecer em tal e tal época – está acontecendo agora.

O presidente avatar da paz que foi levado a outra linha de tempo tomará parte do governo global de Haia?

Provavelmente não, porque precisamos de personalidades mundiais, não apenas de personalidades de um só governo. Com o tempo, entendam, vocês terão uma ordem filosófica planetária… "ordem" não é a palavra certa, "sistema" talvez fosse um termo melhor… no qual todos serão tratados com a mesma bondade com que os outros.

NAÇÕES COM CONTRATOS DE 50 ANOS

Suponho que as nações que participaram desse contrato de cerca de 50 anos foram Rússia, Estados Unidos, Inglaterra e, como você disse, os principais governos estáveis?

Havia contratos independentes, na verdade. Alguns governos não sabiam que outros governos participavam. Por exemplo, os EUA não sabiam que a Rússia tinha seu própria contrato (refiro-me à União Soviética posteriormente à Segunda Guerra Mundial). Havia um contrato com eles também, embora se soubesse que o goveno não era tão estável quanto, digamos, o da Inglaterra, França ou até mesmo EUA, mas houve estabilidade suficiente ao longo dos tempos futuros mais duros que julgaram valiosa. Posso acrescentar que alguns dos contratos não foram firmados nem mesmo com pessoas do governo.

Por exemplo (e não vou dar o nome das pessoas), havia certos elevados órgãos de instituições educacionais. Em outros países, o governo era instável, mas as instituições educacionais eram estáveis.

Pode dizer o país?

Mencionarei alguns deles: Brasil, Chile, o que naquela época estava se tornando a África do Sul, Egito, Portugal. Acho que só direi isso por ora. Embora os governos de alguns desses lugares pudessem ser mais estáveis e em outros menos estáveis, eles não dispunham de instituições estáveis. Eram firmados contratados segundo os quais seriam feitas trocas aceitáveis de várias formas. Em alguns casos, eram realizadas reuniões com representantes dessas instituições educacionais de uma forma bem informal: "Vá de carro pelo estrada e nós o encontraremos e falaremos o negócio" (falando de maneira bem coloquial). Foi mais profundo que isso, mas é assim que vou falar neste momento.

Dessa forma, o acordo ficou mais universal. Essa era também a situação em alguns países nos quais as instituições educacionais e os governos estavam ligados que esses governos eram considerados estáveis.

Vou dar um exemplo desse caso: Índia. A Índia é tão estável em razão de suas instituições educacionais e convicções e filosofias arraigadas. Eles têm variedade, mas ela tem certas coisas em comum. Era possível realizar reuniões com as pessoas individualmente – não com zetas, e sim com seres que se pareciam mais com gente da Terra.

JAPÃO

Bem, e o Japão? Eles obviamente tinham um acordo porque têm muita tecnologia. Estavam tão avançados em relação a nós – aquilo era tecnologia extraterrestre ou apenas tecnologia própria?

Recapitulem a história da tecnologia e descobrirão que o Japão apresenta uma capacidade maravilhosa para divisar no horizonte o que é bom e para tirar o máximo do mínimo. Isso não quer dizer que eles não inventem e criem muitas coisas agora, mas no passado se dedicavam mais a aplicar do que a inventar. Não, o Japão não foi consultado na época devido às feridas sofridas por seu povo que ainda eram, de muitas formas, pavorosas. O povo dos Estados Unidos, em especial atualmente, ainda não apreendeu o impacto apocalíptico sobre o Japão da experiência pessoal das bombas nucleares. A cultura japonesa ainda hoje não superou aquilo. Admito que a cultura japonesa e os militares da época causaram muito sofrimento no mundo, mas digamos simplesmente o seguinte: a represália que sofreram ultrapassou em muito o que fizeram, e quem sofreu foram principalmente não combatentes. Quando soldados sofrem, não digo que seja bom, mas o sofrimento é compreendido pelo soldado. Mas quando civis sofrem, isso não é nada bom. Não aponto o Japão como único sofredor. Muitos sofreram, mas nem todos experimentaram o sofrimento atômico. Assim, o Japão não foi excluído; apenas deixaram que se curasse. Contudo, em anos posteriores houve tentativas de chegar a eles. Certamente havia Ets benéficos trabalhando com o povo japonês de outras formas, mas falarei mais sobre isso em outra ocasião.

Não foi apenas o Majestic 12, foi o contrato de 50 anos, certo? O mundo todo, todos os governos da Terra, tinham de mantê-lo oculto.

Não estou dizendo que o Majestic 12 não existia, mas o Majestic 12 e as informações sobre sua existência e tudo mais faziam parte do experimento que visava fazer as pessoas saberem que os UFOs são reais.

Mas a razão básica por que mantiveram isso em segredo foi o contrato de 50 anos?

Sim, o contrato "você faz isto para mim e eu faço aquilo para você", como em qualquer contrato.

 

fonte: o arquivo

Anúncios